18 comentários:
De ritalps a 22 de Janeiro de 2006 às 16:17
Permite-me uma correcção: ele não são apenas 901 dias volvidos que tal promessa foi proferida.
Ha +- 5475 dias que venho ouvindo essa promessa, por diferentes bocas.
Se se ler a frase devidamente, da para rir com a ironia!
Ele, e outros, até cumpriram a promessa de retirar Portugal da cauda da Europa. De tal forma foram eficientes que ja nem na cauda figuramos!!!!!!!!!!!
De ritalps a 22 de Janeiro de 2006 às 16:06
Continuando... concordo com o teu apelo no sentido de "apelar ao voto" - em vez de se ficar por casa "esperante", numa atitude passiva de quem não quer saber, e deixar que outros decidam por nós o rumo a dar a isto...bom, acho que aí sim, o apelo ao voto deve ser difundido. Quanto mais não seja pela luta que o "direito ao voto" historicamente sentiu. Devemos isso. Ora posto isto, e juntando comentario anterior, julgo que a opção que se me apresenta é o voto em branco. Indignados podei-vos ficar. Mas o voto em branco é um expressar de opinião. Ele existe para isso mesmo, não para mostrar indiferença, não para se dizer indeciso, não para reverter a favor de um ou outro politico, mas sim para mostrar insatisfação, para mostrar que se está aqui e atento e que nenhuma das opções nos apraz. Por maior que seja a raiva que tenha a qualquer um dos candidatos, jamais (neste caso) darei o meu voto a um outro qualquer apenas para que meu ódio não seja eleito. Se ele vencer, bom, infelizmente é porque a vontade da maioria é essa - viver democraticamente é isto mesmo, quer gostemos ou não. Assim, 1)por a insatisfação com opções dadas ser total e 2)por, éticamente falando, ir contra os meus principios abdicar daquilo que creio, e julgo correcto, em detrimento do que nego e julgo incorrecto,

por estas razões voto em branco. Lamento.
De ritalps a 22 de Janeiro de 2006 às 15:37
Um belo de um estrugido! ...e bem puxado. Nestes ultimos dias que se queriam de reflexão, o que escreveste deu que me (re)pensar. Segue a minha reflexão. Em tempo algum, passado/presente/futuro, cavaco é para mim uma opção. As razões serão mais que muitos mas, destacando, tenho sua (in)cultura, sua total ausencia de visão geral da situação do país, sua postura e poder argumentativo, ausência de objectividade, somando-se o ser em si um péssimo politicco. Resumindo: total ausencia de perfil para PR. Então e porque não Soares, pergunto-me. Pergunta legitima pois não só foi quem no passado elegi como também está pelo partido que idiologicamente sigo - entenda-se partido em cuja idiologia encontro menos discrepancias em relação a minha idiologia. Retomando, e Soares não porque o acho ultrapassado, o seu tempo foi. Já pouca novidade poderá vir com sua eleição. Para além de não o achar já com calibre e pulso suficientes para ser portador/anunciador/executor de uma massiva reviravolta no país, acho também que há ja algum tempo que objectividade idiologica de cariz executiva não habitam aqueles lados. Não, Soares definitivamente não é uma opção. Os restantes candidatos...bom poderia dissertar sobre o assunto mas, encurtando, penso que nenhum deles tem de facto potencial ou perfil para vir a ser um PR digno de se vir a escrever nos livros de história. (talvez sobre JS recaia alguma da minha momentanea simpatia).
De RC a 22 de Janeiro de 2006 às 00:41
Acendam velinhas... só a candeia poderá iluminar o caminho dos justos e garantir uma segunda volta.
De aderito a 20 de Janeiro de 2006 às 21:52
passei por aqui por acaso e demorei-me na minha visita.
Porra nao e todos os dias que vejo/leio coisas desta natureza - Gostei palavra que gostei e no domingo so espero que esse senhor que da pelo nome de cavaco fique a arder.Obrigado pela prosa e espero que no domigo possamos todos festejar a derrota deste fascista
Um abraço
De Barbed Wire a 20 de Janeiro de 2006 às 21:39
Sinceramente... o mal dos apoiantes dos candidatos de esquerda (excepção feita a Garcia Pereira) é isto mesmo: Malhar e só malhar no contabilista de Boliqueime e não apresentar (nem saber) uma única razão pela qual o seu candidato deve ser eleito... nem UMA!!!!
Pelo menos o Garcia diz que mandava logo o governo pra puta que o pariu!!! Dissolvia logo a Assembleia dos mamões e punha isto na ordem!!!
De gaja a 20 de Janeiro de 2006 às 17:22
A comparação com Salazar, a mim, fez desenterrar do baú das memórias o suspiro da minha avó sempre que ouvia o Cavaco a falar: "parece o outro!"
De Ana a 20 de Janeiro de 2006 às 16:19
Da polícia a bater, eu lembro-me.
Eu voto Alegre e também tenho esperança num reviralho que leve a uma segunda volta.
O Cavaco não tem estofo para PR. É que mesmo que fosse só para a parte "decorativa" da função, o homem serve mal(imagem do bolo-rei a vir à mente).
Ele sabe lá o que é diálogo, diplomacia, consenso...Se raramente se engana (julga-se um deus ?)
Cavaco tem qualquer coisa de maquinal, industrial... Humanismo é que não se nota por ali.
Só se for lá em casa, com as crianças...
De rps a 20 de Janeiro de 2006 às 15:26
Acho forçada a comparação a Salazar. Intelectualmente, o homem de Sta. Comba era muito superior ao homem de Boliqueime. O homem de Sta. Comba não era um mero contabilista. Sobre as cargas policiais, também há aqui alguma injustiça. A da Marinha Grande, sobre trabalhadores da Manuel Pereira Roldão, foi despropositada. As outras justificavam-se. Há momentos em que é preciso malhar, em que a polícia tem mesmo de impor o restabelecimento da ordem.
De js a 20 de Janeiro de 2006 às 13:07
cuidado com os candidatos que por aí andam! Alegre'mente!
FORÇ'AÍ!
js de http://politicatsf.blogs.sapo.pt e ...

Comentar post